A Sociedade Brasileira de Teologia Moral (SBTM), desde a sua fundação em 1977, reuniu-se ininterruptamente, uma vez ao ano, para refletir, por meio de conferências, debates e congressos, sobre temas exclusivos da Teologia Moral. Dessas reuniões, resultaram publicações que expressaram toda a riqueza do conteúdo teórico e da práxis concebida no «caldo» doethos popular brasileiro. A SBTM, desde a sua fundação, tem sido capaz de conciliar os apelos que provêm da realidade em constante transformação com o estudo sério e responsável por parte de seus membros.
Valendo-nos da imagem da SBTM como uma «lente», podemos dizer que o conjunto arquitetônico que se edifica desde 1977 é complexo porque ora temos «lentes convexas» que criam raios paralelos de luz convergente, ora temos «lentes côncavas» que criam raios paralelos de luz divergente. Com isso, queremos dizer que o campo temático desvelado pela «objetiva» da SBTM não apenas abrange os temas persistentes da Moral Tradicional, que exigem contínuo aprofundamento e consistente fundamentação, como também, sempre aberto para atualizar seu campo de visão, dialoga com as outras áreas do conhecimento e abre-se para redimensionar sua área de abrangência com temas emergentes de caráter universal e particular, que desafiam qualquer tentativa de consenso e, portanto, são divergentes. Desse modo, o enfoque da SBTM apresenta um lado dinâmico e criativo da Teologia Moral no Brasil.

Ao longo dessas quatro décadas de Encontros da SBTM, podemos distinguir quatro fases, dispostas cronologicamente: Fase I (1977-1987), Fase II (1988-1998), Fase III (1999-2011) e, a partir de 2012, já se vislumbra uma possível Fase IV (2012). Por si só a visão do conjunto dos Temas Gerais, tratados durante as Fases, já nos salta aos olhos, devido à riqueza da multiplicidade de temas abordados pela SBTM.

Na Fase I (1977-1987), percebemos um salto, pois a iniciativa de reunir os professores de Teologia Moral, para compartilharem seus anseios e suas propostas de ensino, foi uma quebra da acomodação que pairava sobre a reflexão e produção da Teologia Moral. Essa iniciativa fundou a SBTM, dinamizou o estudo da moral no Brasil, incentivou a pesquisa e a produção e esta, por sua vez, iluminou a ação pastoral da Igreja do Brasil. É fato concreto que os primeiros encontros foram realizados junto ao Instituto Nacional de Pastoral da CNBB. Isso significa que Magistério, teólogos e pastoralistas pensaram juntos os temas pertinentes da Teologia Moral que desafiavam o ethos brasileiro.

Esse núcleo-fundante, trabalhado em conjunto, desencadeou duas situações determinantes para a originalidade da Teologia Moral no Brasil: a conscientização e a articulação. Com a reflexão do Encontro de 1983, com o Tema «Estratégias para mudar o ethos social brasileiro», a SBTM definiu uma estratégia de ação e de práticas para a população inserindo-se no chamado «processo de conscientização» como mola propulsora para um novo ethos. Isso desencadeou um segundo fator: a articulação. A SBTM abriu as portas para uma articulação com a América Latina (é o caso do I Encontro Latino-Americano de Teologia Moral em 1986) e permitiu um mergulho ainda maior na realidade possibilitando a elaboração de uma Teologia Moral mais solidária, situada e encarnada no ethos social. Assim, a primeira Fase apresenta-nos três características fundamentais: desacomodação, conscientização e articulação.

Após a coragem do salto, na Fase II (1988-1998) destacamos concretamente as consequências desse mergulho. A Teologia Moral no Brasil não ficou alheia aos seus desafios e abordou temas muito particulares do país como: «Moral e culturas do submundo» (1990), «Ecologia entre economia, ética e política» (1991), «A ética entre as madalenas, travestis, portadores de HIV, meninos e meninas de rua» (1994).

Um fator de preponderância foi a reflexão Bioética. Na SBTM surgiram as primeiras reflexões sobre uma Bioética com base nos exclusos (1987) e que, posteriormente, definiu uma nova abordagem na reflexão Bioética em todo o mundo (especialmente depois do VI Congresso Mundial de Bioética, em Brasília, em 2002, com o tema: «Bioética, Poder e Injustiça»). Dessa forma, a pluralidade desigual da realidade brasileira (particularidade) despertou uma consciência que pode contribuir para a reflexão Bioética mundial (universalidade).

Na Fase III (1999-2011), emerge-se do mergulho. Pode-se ver claramente a elaboração de uma Teologia Moral, consequência da maturação definida nas duas anteriores e destacam-se duas características significativas: pluralidade e dialogicidade. Graças à sua dinâmica de tensão-significação-confronto, a Teologia Moral no Brasil manteve-se sempre aberta às interpelações da pluralidade latino-americana e foi construída em pleno diálogo com o complexo ethos cultural e social do país. Esse fato é comprovado claramente na Fase III pelo número de mediadores convidados para os encontros da SBTM e que são de outras áreas do conhecimento. O rosto e a cultura miscigenados do povo brasileiro também se projetaram na elaboração de um rosto da Teologia Moral no Brasil.

Assim, qualquer teólogo moralista no mundo, que deseje pesquisar seriamente alguns temas de relevância atual como vulnerabilidade social, exclusão, ecologia, alocação de recursos na saúde, justiça social, pluralidade e diversidade na elaboração de normativas morais etc., deverá passar necessariamente pela compreensão da produção moral no Brasil, com um legado teórico e prático significativo para oferecer como referencial hermenêutico no conjunto da Teologia Moral.
Está-se configurando uma nova Fase para a SBTM (2012-…) que será analisada em continuidade às acima, para não se perder o fio condutor da reflexão teológica moral no Brasil. Isso mostra o legado teológico que a SBTM proporcionou durante a condução de seus trabalhos nas últimas quatro décadas. Mas, além da visão global dos temas desenvolvidos, podemos projetar novas luzes sobre a Teologia Moral no Brasil diante de uma construção tão sedimentada que permite continuar construindo-se sobre suas bases.

Numa vida tão plural e num tempo tão desafiador quanto o nosso, em que tudo caminha numa velocidade absurda, a Teologia Moral no Brasil, por intermédio da SBTM quer manter seu papel de mediadora investindo na formação da consciência e no diálogo com a sociedade para «produzir frutos de caridade para a vida do mundo» (OT 16).

1 Fase I (1977-1987)

Nessa Fase, podemos acompanhar toda a dinâmica de organização dos Encontros Nacionais dos Professores de Teologia Moral (ENPTM). Apoiados pela CNBB, por meio do Instituto Nacional de Pastoral (INP), os encontros foram realizados, no seu início, apenas com professores de Teologia Moral.

1.1 Teologia Moral e Magistério – 1977

  1. O I ENPTM foi realizado em São Paulo, entre 14 e 16 de dezembro. O primeiro Tema Geral (TG) focou: «Teologia Moral e Magistério». Os Temas Específicos (TEs) abordados foram: 1) «O problema demográfico e as esperanças de um mundo novo», A. Moser; 2) «O descompasso da teoria com a prática, uma indagação nas raízes da moral», H. Lepargneur; 3) «Esterilização e avaliação moral: um problema metodológico», M. F. dos Anjos.

1.2 Moral fundamental e experiência – 1978

  1. O II ENPTM aconteceu em Belo Horizonte, entre 12 e 14 de dezembro. O segundo TG focou: «Moral fundamental e experiência». Os TEs abordados foram: 1) «Teses fundamentais de Ética», H. Lepargneur; 2) «Normas e leis e o jeitinho brasileiro», B. Leers.

1.3 A inserção da Teologia Moral no momento teológico atual – 1979

O III ENPTM foi desenvolvido em Brasília, entre 11 e 13 de dezembro. O terceiro TG focou: «A inserção da Teologia Moral no momento teológico atual». Os TEs abordados foram: 1) «Como situar a Teologia Moral diante e/ou dentro da Teologia da Libertação e de outras correntes teológicas atuais?», A. Antoniazzi; 2) «Notas elementares para uma Ética Política», A. Moser; O estudo do documento preparatório do Sínodo dos Bispos de 1980 (O papel da família cristã no mundo de hoje)».

1.4 Teologia da Libertação na Renovação Moral – 1980

  1. O IV ENPTM aconteceu em Floresta, Minas Gerais, entre 09 e 12 de dezembro. O quarto TG focou: «Teologia da Libertação na renovação moral». Os TEs abordados foram: 1) «Temas éticos presentes na História da Igreja na AL», O. Beozzo; 2) «Ética de justificação do sistema Colonial», O. Beozzo.

1.5 Teologia Moral questionada pela nossa realidade – 1981

  1. O V ENPTM desenvolveu-se em Campos do Jordão, São Paulo, entre 15 e 18 de dezembro. O quinto TG focou: «Teologia Moral questionada pela nossa realidade». Os TEs abordados foram: 1) «Moral católica e sociedade colonial», R. Azzi; 2) «Sociedade e escola: tentativa de interpretação teológica do papel da escola na sociedade», F. Taborda.

1.6 Liberdade, Consciência e Pecado – 1982

  1. O VI ENPTM desenvolveu-se na cidade do Rio de Janeiro, entre 14 e 17 de dezembro. O sexto TG focou: «Liberdade, consciência e pecado». Sem mediadores específicos, foram discutidos em grupos os seguintes TEs: 1) Liberdade; 2) Consciência; 3) Pecado.

1.7 Estratégias para mudar o Ethos Social Brasileiro – 1983

  1. O VII ENPTM aconteceu na cidade de Salvador, Bahia, entre 13 e 16 de dezembro. O sétimo TG focou: «Estratégias para mudar o Ethos social brasileiro». Os TEs abordados foram: 1) «Conscientização e mudança do ethos social brasileiro», A. Moser; 2) «A ação do moralista e seu relacionamento com o povo», A. Aparecido da Silva; 3) «Tentativa de fundamentação ética na Teologia da Libertação», N. Masi; 4) «Justiça em Medellín e Puebla», B. Menegolla; 5) «O conceito de Teologia Moral como teologia da vida em B. Häring», L. Dagiós; 6) «Poder, consciência e mudança social», H. Lepargneur.

1.8 Fundamentação da Moral Libertadora – 1984

O VIII ENPTM foi realizado em Massejana, na cidade de Fortaleza, Ceará, entre 17 e 21 de dezembro. A partir desse ano foi constituída a Sociedade Brasileira de Teologia Moral (SBTM) com a aprovação de um Estatuto de cunho privado. O oitavo TG focou: «Fundamentação da moral libertadora». Os TEs abordados foram: 1) «Moralistas e magistério», B. Leers; 2) «Dependência, inconsciente e moral», V. Ponte; 3) «Teologia Moral e ciências humanas», A. Moser; 4) «Projeto “Reino” passa por mediações e concretizações históricas», N. Masi; 5) «Compêndio sobre emergência da consciência moral», de J. Reegen, apresentado por H. Lepargneur; 6) «Condicionamentos sociológicos do ato moral», D. Menezes.

1.9 Violência sobre a mulher empobrecida – 1985

  1. O IX Encontro Nacional da SBTM (ENSBTM) aconteceu em Brasília, Distrito Federal. O nono TG focou: «A violência sobre a mulher empobrecida». Os TEs abordados foram: 1) «Mulher e prostituição», H. D’Ans; 2) «Mulher, família e estrutura social», J. B. de Lagenest; 3) «Mulher Negra», M. F. dos Anjos; 4) «Sexualidade e classes sociais», R. M. Muraro; 5) «Papel da mulher como pessoa nos ministérios», Z. F. Ribeiro; 6) «A dimensão da dominação simbólica a partir do problema do pecado», A. M. Tepedino; 7) «Significado do Concílio Vaticano II», J. Comblin; 8) «Libertação da mulher hoje na igreja e na sociedade: uma aproximação teológico-moral», J. Jordan.

1.10 Articulação da Teologia Moral na América Latina – 1986

  1. O X ENSBTM desenvolveu-se em São Paulo, entre 15 e 19 de dezembro. O décimo TG focou sobre: «Articulação da Teologia Moral na América Latina». Os TEs abordados foram: 1) «Desafio de fazer Teologia Moral na América Latina», M. F. dos Anjos; 2) «Salvar a vida dos pobres, tarefa da Teologia Moral na América Latina», F. Rejón; 3) «Ciências do Social e Teologia Moral», A. Moser; 4) «Ética, teologia e libertação», F. B. de Souza Neto; 5) «Teologia Moral e Comunidade de Fé», M. F. dos Anjos; 6) «Teologia Moral e questão Negra», A. Aparecido da Silva; 7) «Ensinar Teologia Moral», B. Leers.

1.11 Reflexões éticas sobre a realidade eclesial e teológica da América Latina – 1987

  1. A partir do XI ENSBTM, inicia-se uma ampliação do debate em torno de temas relevantes para a Teologia Moral no Brasil, com a organização de Congressos Latino–Americanos. Assim, o décimo-primeiro ENSBTM e o I Congresso Latino-Americano de Teologia Moral (I CLATM) aconteceram na cidade de São Paulo, entre 08 e 12 de dezembro. O décimo-primeiro TG focou: «Reflexões éticas a partir da realidade eclesial e teológica da América Latina». Os TEs abordados foram: 1) «A Teologia Moral após o Vaticano II e a contribuição da América Latina», B. Häring; 2) «Significado de Santo Afonso para a Teologia Moral hoje», S. Majorano; 3) «O Pecado Social em Chave latino-americana», A. Moser; 4) «Direitos Humanos e Teologia Moral: reflexão a partir da realidade latino-americana», F. Rejón; 5) «Uma Moral integrada: O movimento contra a tortura “Sebastián Acevedo”», J. Aldunate; 6) «Reconciliação: aproximação ética a partir da América Latina», T. Mifsud; 7) «A questão do discernimento ético», R. Junges; 8) «Fundamentos filosóficos da Teologia Moral na América Latina», L. Álvarez; 9) «Bem-          -Aventuranças e Ética da Libertação», J. Dominguez; 10) «Mulher, contribuição à Teologia Moral na América Latina», I. Gebara; 11) «Bioética a partir do Terceiro Mundo», M. F. dos Anjos; 12) «Éticas e políticas demográficas», E. Bonnin; 13) «A dívida externa e a vida dos pobres», J. Mo Sung e H. Mo Sung; 14) «Postulado por uma mudança ética na questão da dívida», J. de Santa Ana; 15) «Ensinar Teologia Moral na América Latina», B. Leers; 16) «Ética e evangelização das culturas», M. Brunero; 17) «25 anos do Concílio Vaticano II», L. Barazzutti; 18) «O projeto “Reino” nas mediações históricas», N. Masi.

1.12 Síntese da Fase I

  1. Percebe-se claramente, nesta fase, um rápido crescimento e expansão da SBTM, que deixa de ser mero encontro entre professores de Moral para uma troca de ideias e de colaboração fraterna, a fim de se tornar uma associação organizadora de debates para toda a América Latina. Elabora-se um projeto de ação mais amplo quando se passa de Encontros Nacionais de Professores de Teologia Moral (ENPTM) para a Sociedade Brasileira de Teologia Moral (SBTM), em 1984. Com um estatuto, determinam-se objetivos, conquistam-se sócios, divulgam-se suas propostas em âmbito nacional e organiza-se o seu primeiro Congresso Latino-Americano de Teologia Moral (CLATM) em 1987, com a participação de moralistas de destaque nacional e internacional.
  2. A SBTM consegue, no final dessa primeira fase, conquistar credibilidade e de 12 participantes, no primeiro encontro, chegam a 70 no I CLATM, configurando-se como uma sociedade não só nacional, mas também latino-americana. Já existe, nesse período, um Instituto de Formação em Teologia Moral, chamado Alfonsianum, em Roma, e a produção de uma coleção de Teologia Moral na América Latina, pela Editora Santuário.
  3. Enfim, esta fase viria a caracterizar-se como um salto de qualidade realizado pela Teologia Moral no Brasil, uma primeira resposta à renovação exigida pelo Concílio Vaticano II. Parte-se da plataforma da Moral Tradicional e Clássica escalada degrau por degrau na formação dos teólogos moralistas no Brasil e, ao chegarem ao trampolim do Vaticano II e do Documento de Medellín, foram impulsionados a saltar, pois as águas da América Latina e do Brasil precisavam ser mais bem exploradas.

2 Fase II (1988-1998)

2.1 Ética e Economia – 1988

O XII ENSBTM desenvolveu-se em São Paulo, entre 05 e 09 de dezembro. O décimo-segundo TG focou: «Ética e economia». Destaca-se o seguinte TE: «A Ética da economia capitalista», J. Santa Ana.

2.2 Teologia Moral e Libertação – 1989

O XIII ENSBTM aconteceu em Petrópolis, entre 11 e 15 de dezembro. O décimo-terceiro TG focou: «Teologia Moral Fundamental na perspectiva Latino-Americana». Os TEs abordados foram: 1) «Coordenadas básicas de uma Ética da Libertação – evolução histórico-teológica», M. Mayer; 2) «Crise de identidade da Ética», M. Brandão; 3) «Aportes filosóficos na busca de identidade», M. Sassatelli; 4) «Deus na Ética da Libertação», J. Mo Sung; 5) «Valores emergentes na Ética da Libertação», D. de Camargo; 6) «Requisitos éticos para uma nova evangelização», L. A. de Mattos; 7) «Consciência e conscientização», N. Agostini; 8) «Liberdade e processo de libertação», L. Boff.

2.3 Teologia Moral e Culturas – 1990

O XIV ENSBTM e II CLATM foram realizados em São Paulo, entre 10 e 14 de dezembro. O décimo-quarto TG focou: «Teologia Moral e culturas». Os TEs abordados foram: 1) «Interpelações da Cultura para a Teologia Moral», M. F. dos Anjos; 2) «Teologia Moral e o contexto histórico-cultural: alguns traços da Teologia do séc. XVI», F. Rejón; 3) «Cultura e evangelho: responsabilidade ética», T. Mifsud; 4) «Moral e cultura: entre diálogo e etnocentrismo», A. Moser; 5) «Perspectivas morais para a evangelização da cultura», M. Brunero; 6) «Exílio, Sodoma e o deserto: uma Ética Teológica a partir das culturas dos submundos», L. Martin; 7) «Consulta às vítimas em matéria de Moral», C. Halvey; 8) «A Teologia Moral no futuro da América Latina», A. Duque.

2.4 Metodologia da Teologia Moral – 1991

O XV ENSBTM foi realizado em Curitiba, entre 09 e 13 de dezembro. O décimo-quinto TG focou: «Metodologia da Teologia Moral». Os TEs abordados foram: 1) «Metodologia latino-americana e Teologia Moral», C. Boff; 2) «Impasses da vida humana», A. Aparecido da Costa; 3) «Para um balanço da Teologia Moral na América Latina», M. F. dos Anjos; 4) «O interlocutor da Teologia Moral no Brasil – base antropológica do agir Moral», M. Mayer; 5) «Temas relevantes da Teologia Moral no Brasil hoje», R. Junges; 6) «Ecologia entre Economia, Ética e Política», N. Masi.

2.5 O Documento de Santo Domingo – 1992

O XVI ENSBTM desenvolveu-se em Ilhéus, com a SOTER, entre 07 e 12 de dezembro. O décimo-sexto TG focou o Documento de Santo Domingo. Destaca-se o TE: 1) «O documento de Santo Domingo: nova evangelização, promoção humana e cultura cristã».

2.6 Ética na relação Igreja e Sociedade na América Latina – 1993

O XVII ENSBTM e III CLATM aconteceram em São Paulo, entre 06 e 10 de dezembro. O décimo-sétimo TG focou: «Ética na relação igreja e sociedade na América Latina». Os TEs abordados foram: 1) «Ética e economia na América Latina e Caribe», J. Santa Ana; 2) «Pluralismo e Ética», M. Oliveira; 3) «Conceito Teológico-Moral de sujeito social», S. Mier; 4) «Sujeitos sociais emergentes da Ética», B. Leers; 5) Ética civil e Teologia», A. Duque; 6) «Igreja e sociedade: relação dialogal», T. Mifsud; 7) «Alguns desafios da Ética na relação igreja e sociedade», M. F. dos Anjos; «Ousando sonhar», L. Caixeta, J. Gutiérrez, P. Fernandez.

2.7 Ética entre os Excluídos – 1994

O XVIII ENSBTM foi desenvolvido em Vitória, entre 05 e 09 de dezembro. O décimo-oitavo TG focou: «Ética entre os excluídos». Os TEs abordados foram: 1) «Aproximação sócio-antropológica do mundo dos excluídos», D. Peruzzo; 2) «O Deus da Ética dos Excluídos», D. Camargo; 3) «As normas morais na marginalidade», L. Martin; 4) «A Ética entre as Madalenas», H. D’Ans; 5) «A moral dos travestis e portadores de HIV», I. Adams; 6) «Moral dos cortiços», L. A. Tegami; 7) «Meninos e meninas de rua fazem Moral», M. Couto; 8) «Pela Ética entre os excluídos», a cargo dos participantes.

2.8 Questões de Bioética hoje 1995

O XIX ENSBTM aconteceu em Fortaleza, entre 04 e 08 de dezembro. O décimo-nono TG focou: «Questões de Bioética hoje». Os TEs abordados foram: 1) «Grandes problemas da Bioética hoje», L. Pessini; 2) «Abordagem histórica e contextual da Bioética», M. F. dos Anjos; 3) «Ética médica codificada no Brasil», G. Veloso, J. C. Gomes e L. Martin; 4) «Bioética, saúde e cidadania», V. Garrafa; 5) «A prostituição de menores como desafio para a Bioética», A. Sempiero e E. Silveira.

2.9 Ética e o Direito – 1996

O XX ENSBTM e IV CLATM foram realizados em São Paulo, entre 10 e 13 de dezembro. O vigésimo TG focou: «Ética e o Direito». Os TEs abordados foram: 1) «Ética e Direito – um panorama às vésperas do século XXI», J. Lima Lopes; 2) «Santo Afonso Maria de Ligório, jurista e teólogo da Moral», M. Ceschini; 3) «Tolerância, liberdade e democracia: algumas questões», L. Oliveira; 4) «Intervenção humanitária entre o Direito e o dever», E. Barceló; 5) «Direito alternativo: propostas e fundamentos éticos», A. Wolkmer; 6) «Nova crítica sobre a relação Direito e Moral», A. P. Silva; 7) «Recepção da Ética personalista no Código de Direito Canônico», N. Masi; 8) «Ética e Direito em Agostinho. Um ensaio sobre ‘lei temporal’», F. Ramos.

2.10 Ética e cidade – 1997

O XXI ENSBTM desenvolveu-se em Aparecida, entre 08 e 12 de dezembro. O vigésimo-primeiro TG focou: «Ética e Cidade». Os TEs abordados foram: 1) «Desafios da cidade: aspectos psicológicos», V. H. Lapenta; 2) «A cidade na Bíblia», D. Sávio; 3) «Desafios éticos teológicos da urbanização», N. Agostini; 4) «Os desafios da Pastoral urbana hoje, à luz de Medellín, Puebla e S. Domingo», Dom Dadeus Grings; 5) «A mulher, a moral e a cidade», Z. Ribeiro e M. Brandão.

2.11 Ética e Direitos Humanos – 1998

O XXII ENSBTM aconteceu em Vitória, entre 07 e 12 de dezembro. O vigésimo-segundo TG focou: «Ética e direitos humanos». Os TEs abordados foram: 1) «O impacto da teoria dos Direitos Humanos sobre nossa prática de Teologia Moral», L. Martin; 2) «Direitos Humanos: o despertar da Igreja do Brasil aos 50 anos da Declaração Universal da ONU», N. Agostini; 3) «Economia, história e direitos humanos: alguns aspectos da doutrina de Santo Afonso sobre a usura e os juros», M. Ceschini; 4) De direitos humanos para direitos da pessoa: o resgate do feminino na reflexão sobre os direitos humanos», Z. Ribeiro; 5) «Direitos humanos e crime organizado em Vitória: Comissão de Justiça e Paz de Vitória», F. Badenes Júnior, E. Guimarães; 6) «Direitos humanos: uma questão de Ética, justiça e direito», J. B. Herkenhoff.

2.12 Síntese da Fase II

  1. A segunda fase da SBTM estabeleceu-se em tempos de grandes mudanças sociais e culturais na vida do brasileiro e, num processo contínuo de reflexão e atualização, foram explorados mais profundamente os temas pertinentes à realidade do contexto latino-americano. É uma fase em que predominam muitos temas da Moral Social entrelaçados com os fundamentos da Moral Geral e foram debatidos em conjunto.
  2. Outro fator a destacar-se é o aumento considerável da participação de leigos. Se na primeira fase eram somente 12, agora são 26 mediadores. Os religiosos continuam dominando o cenário de reflexão e na Fase II somam 40. As mulheres mantêm uma participação mais estável durante o decênio, com pouco crescimento em relação à fase anterior, isto é, de 6 passaram a ser 9 mediadoras.
  3. O número de teólogos da moral manteve-se estável em comparação à F1; porém a diferença foi o crescimento do número de brasileiros em relação aos estrangeiros, que, desta vez, somam 43 contra 26, respectivamente.
  4. Outro fator importante a destacar-se é o aumento do número de mediadores formados na América Latina: de 9 mediadores da Fase I passaram a ser 19 na II. O número de produção publicada diminuiu consideravelmente em relação aos da ENSBTM, mas aumentou a produção pessoal dos mediadores em áreas afins.
  5. Na Fase II, após o salto corajoso da Fase I, os teólogos da moral buscaram aprofundar os temas relativos à América Latina, realizando durante essa década mais três CLATMs (1990, 1993, 1996) estabelecendo, assim, um fortalecimento da identidade da reflexão da Teologia Moral Latino-Americana, culminando com o IV CLATM sobre Direito e o lançamento do último volume da coleção de Teologia Moral na América Latina, somando doze publicações.
  6. Na Fase II, a SBTM conseguiu mergulhar em muitos temas, alguns nas margens e outros na profundeza das águas, isto é, foi uma tentativa de se defrontar com as dores, alegrias e tristezas dos temas latino-americanos.
  7. Desse modo, podemos dizer que a Fase II é caracterizada pela imersão num mergulho que explorou os temas da Teologia Moral no Brasil em intensa sintonia com a realidade de toda a América Latina.

3 Fase III (1999-2011)

3.1 Teologia Moral na passagem do Milênio – 1999

O XXIII ENSBTM foi realizado em Curitiba, entre 06 e 10 de dezembro. O vigésimo-terceiro TG focou: «Teologia Moral na Passagem do Milênio». Os TEs abordados foram: 1) «Moral dos manuais», B. Leers;  2) «Moral renovada», A. Moser; 3) «Moral na perspectiva da Teologia da Libertação», M. F. dos Anjos; 4) «Moral Social, o desafio ambiental na América Latina», N. Agostini;  5) «Bioética», L. Pessini; 6) «Teologia Moral e questões de gênero: uma aproximação Moral à obra de Waman Puma», R. Adela; 7) «Bases filosóficas para uma ética religiosa no novo milênio», D. Costella; 8) «Bernhard Häring e o diálogo intrarreligioso», M. I. C. Millen; 9) «Uma nova abordagem à Moral Fundamental», J. Konzen.

3.2 Ética na Política – 2000

O XXIV ENSBTM foi desenvolvido em Porto Alegre, entre 04 e 08 de dezembro. O vigésimo-quarto TG focou: «Ética e Política». Os TEs abordados foram: 1) «Ética e Política», E. Stein; 2) «Democracia representativa X democracia participativa», J. Fortunati; 3) «Sujeitos e instâncias da Ética na política do ponto de vista das classes populares (sociedade civil)», J. Bisol e S. Görgen; 4) «Eficiência da Ética Teológica», Dom Ivo Loscheider; 5) «Sujeitos e instâncias da Ética na política do ponto de vista eclesial», M. Couto.

3.3 Ética e Reconciliação na América Latina e Caribe – 2001

O XXV ENSBTM e V CLATM foram realizados em São Paulo, entre 10 e 14 de dezembro. O vigésimo-quinto TG focou: «Ética e Reconciliação na América Latina e Caribe». Os TEs abordados foram: 1) «Corrupção e impunidade: como fazer justiça?», P. Sampaio; 2) «Desarmamento e reconciliação: um caminho para a reconstrução ética», F. Rejón; 3) «Ética e reconciliação: que raízes filosóficas estão em jogo?», M. Oliveira; 4) «Teologia da Reconciliação», J. Comblin; 5) «O problema da reconciliação na América Latina», B. Leers; 6) «Dimensão moral da Teologia do Povo na Argentina», J. Meinvielle; 7) «Que reconciliação é possível para uma política solidária na América Latina?», M. Brunero; 8) «Teologia Moral no Brasil: 25 anos de encontros», M. F. dos Anjos e M. Couto.

3.4 Moral Sexual – Desafios atuais – 2002

O XXVI ENSBTM aconteceu em Petrópolis, entre 09 e 13 de dezembro. O vigésimo-sexto TG focou: «Moral Sexual – desafios atuais». Os TEs abordados foram: 1) «Visão teológica da sexualidade», A. Moser; 2) «Releitura das normas da sexualidade», C. Josaphat; 3) «Os transtornos de identidade de gênero – GIDs e a Moral católica», M. Freitas; 4) «Como entender as fases da evolução sexual?», H. de Souza; 5) «Pedofilia», A. Moser.

3.5 Moral Sexual – Desafios atuais (continuação) – 2003

O XXVII ENSBTM foi realizado em Belo Horizonte, entre 08 e 12 de dezembro. O vigésimo-sétimo TG focou: «Moral Sexual – desafios atuais (continuação)». Os TEs abordados foram: 1) «A questão da sexualidade na doutrina Ético-Moral de Santo Agostinho», M. Costa; 2) «Repensando a Moral Sexual a partir da integração entre ser e agir», R. Zacharias; 3) «Homossexualismo: uma abordagem interdisciplinar», C. Josaphat; 4) «Células-tronco e início da vida: desafios éticos», W. Barth; 5) «Homossexualidade – aspectos pastorais e teológicos», J. A. Trasferetti; 6) «A Contribuição de algumas ciências para uma nova compreensão ética da sexualidade», A. Moser.

3.6 Biotecnologias: desafios à Teologia Moral – 2004

O XXVIII ENSBTM foi desenvolvido em São Paulo, entre 07 e 11 de dezembro. O vigésimo-oitavo TG focou: «Biotecnologias: desafios à Teologia Moral». Os TEs abordados foram: 1) «Biotecnologias e alguns horizontes atuais», Dom Odilo Pedro Scherer, R. Junges; 2) Biotecnologias: conquistas científicas atuais e prospectivas», M. Boccatto; 3) «Reprodução assistida», R. Abdelmassih; 4) «Casuística ilustrativa – reprodução assistida», R. Abdelmassih; 5) «Biotecnologias: incidências sociais», P. Fortes; 6) «Tendências das bioéticas na sociedade plural», E. Zoboli; 7) «Biotecnologias: desafios à contribuição teológica atual», L. Pessini; 8) «Biotecnologias: desafios à moral pastoral».

3.7 Ética Teológica e Ética Mundial – 2005

O XXIX ENSBTM e VI CLATM foram realizados em São Paulo, entre 12 e 16 de dezembro. O vigésimo-nono TG focou: «Ética teológica e ética mundial: perspectivas de contribuição». Os TEs abordados foram:1) «Ética teológica e Ética mundial: perspectivas de contribuição», Dom José Benedito Simão;  2) «Mundialização: fenômeno e alcance», L. Wanderley;  3) «A mundialização considerada a partir da América Latina», L. Bógus e N. Ribeiro Júnior;  4) «O desafio ético da pluralidade: conflito de certezas», M. Oliveira;  5) «A pluralidade no contexto latino-americano», M. I. C. Millen e M. F. dos Anjos; 6) «Ética teológica cristã: capacidades e limitações», I. Vargas; 7) «Contribuições da reflexão latino-americana para a elaboração da Ética Teológica cristã»,  R. Junges e N. Agostini.

3.8 Ética e a nova condição comunicativa – 2006

O XXX ENSBTM aconteceu em São Paulo, entre 11 e 15 de dezembro. O trigésimo TG focou: «Ética e nova condição comunicativa: compreendendo os novos processos comunicativos. Produzindo novas pedagogias éticas». Os TEs foram divididos em três eixos: político-econômico, antropológico e pedagógico.  Político-econômico: 1) «Conjuntura mundial e nova ordem comunicativa», A. Moser; 2) «Novas tecnologias e impacto sociopolítico», J. Puntel; 3) «Liberdade de imprensa, informação e política», C. Roldão, M. Veloso; 4) «Comunicação e política: dos interesses às intrigas», R. Sierra, M. F. dos Anjos, R. Santos. Eixo antropológico: 5) «Comunicar e ser», L. Sá Martino; 6) «Mídia, religião, valores», A. Cabral Filho, E. Cabral; 7) «A comunicação na formação da personalidade: perspectivas éticas», R. Junges, J. Konzen, R. Zacharias. Eixo Pedagógico:  8) «Comunicar a Ética», F. Nunes; 9) «A comunicação na pedagogia ética», M. Oliveira Lima, N. Agostini; 10) «Em busca de novas pedagogias éticas», L. Trigo, J. A. Trasferetti, M. I. C. Millen; 11) «Estratégia ética face à linguagem e ao sistema de comunicação», C. Oliveira.

3.9 A Moral cristã em tempos de relativismos e fundamentalismos – 2007

O XXXI ENSBTM foi realizado em Aparecida, entre 25 e 27 de julho. O trigésimo primeiro TG focou: «A moral cristã em tempos de relativismos e fundamentalismos». Os TEs abordados foram: 1) «Para compreender os relativismos e fundamentalismos», M. Vidal; 2) «Propostas éticas em tempos de relativismos e fundamentalismos», M. Vidal;  3) «Argumentação e moral cristã na sociedade secular», M. Vidal; 4) «CELAM – V CONFERÊNCIA: Conteúdos éticos e morais», M. F. dos Anjos; 5) «Desafios éticos do atual contexto científico e tecnológico», M. Vidal;  6) «Sobre a vida cristã no mundo globalizado», M. Vidal; 7) «Para compreender a sexualidade hoje», M. Vidal; 8) «CELAM – V CONFERÊNCIA: significados globais», O. Beozzo;  9) «Critérios éticos cristãos para a vida sexual», M. Vidal; 10) «Segunda união e participação na vida eclesial», M. Vidal; 11) «CELAM – V CONFERÊNCIA: perspectivas para a Teologia Moral», J. A. Trasferetti.

3.10 Entre a exclusão de si e a globalização do todo – 2008

O XXXII ENSBTM foi desenvolvido em São Paulo, entre 08 e 11 de dezembro. O trigésimo-segundo TG focou: «Entre a exclusão de si e a globalização do todo». Os TEs abordados foram: 1) «Ética do cuidado: entre a exclusão de si e a globalização do todo», L. Pessini; 2) «O paradigma do cuidado e o reconhecimento do outro», C. P. Barchifontaine; 3) «O paradigma do cuidado no âmbito da saúde», M. Paes, A. L. de Oliveira, L. Pereira, A. de Sá; 4) «O paradigma do cuidado no âmbito da saúde: desafios ético-morais», J. Munaro, M. I. C. Millen, P. Souza, M. Duran;  5) «Ética do cuidado no contexto da Criação: cuidando da terra», A. Moser; 6) «Ética do cuidado: textos e contextos nas correntes filosóficas atuais», O. Pegoraro, C. César; 7) «Ética do cuidado: desafios epistemológicos», R. Manzini, N. Agostini, L. A. Mattos; 8) «Ética do cuidado: questões de fronteira», M. F. dos Anjos; 9) «O cuidado da Ética na pesquisa com seres humanos: o reconhecimento do rosto do outro», W. Hossne; 10) «Perspectivas e prospectivas para a Teologia Moral», N. Ribeiro Júnior, J. A. Trasferetti, R. Zacharias.

3.11 Ética teológica e o futuro do continente latino-americano – 2009

O XXXIII ENSBTM e VII CLATM aconteceram em São Paulo, entre 7 e 10 de setembro. O trigésimo-terceiro TG focou: «Ética Teológica e o futuro do continente latino-americano e caribenho: qual ética teológica para um momento de crise?». Os TEs abordados foram-: 1) «O mundo em crise: interpretando mutações/desconstruindo evidências», R. Ricupero;  2) «Impactos da crise mundial no continente latino-americano e caribenho: desafios à Ética teológica», C. Ayala; 3) «Ética teológica, compromisso solidário e espiritualidade esclarecida», M. I. C. Millen, L. E. P. Baronto; 4) «Ética teológica, crise mundial e contexto eclesial», F. Altemeyer Jr.; 5) «O papel hermenêutico da Ética teológica diante das atuais transformações eclesiais», R. Manzini, M. F. dos Anjos; 6) «Qual futuro para a Ética teológica no continente? Entre a literalidade e a alegoria», E. Vásquez, J. Trasferetti, L. Pessini, R. Zacharias.

3.12 Teologia Moral e história: buscando soluções em tempos de incertezas – 2010

O XXXIV ENSBTM foi realizado em São Paulo, entre 06 e 09 de setembro. O trigésimo-quarto TG focou: «Teologia moral e história: buscando soluções em tempos de incertezas». Os TEs abordados foram: 1) «Teologia mundial e História: um mundo inquieto», M. F. dos Anjos e R. Zacharias; 2) «Sobre o tempo de incertezas», J. Siqueira;  3) «Sobre as incertezas da ciência», W. Hossne;  4) «Sobre as incertezas da Moral», J. A. Trasferetti, L. A. Mattos, N. Ribeiro Jr.;  5) «Educar para a cidadania», C. P. Barchifontaine;  6) «Educar para a responsabilidade», M. Berkenbrock Rosito; 7) «Educar para os valores», E. Zoboli, F. Ramos, M. I. C. Millen; 8) «Teologia Moral e História: buscando “soluções” num contexto de incertezas», L. Pessini, F. Silva.

3.13 A contribuição da Teologia Moral cristã numa sociedade plural e global – 2011

O XXXV ENSBTM foi realizado em São Paulo, entre 05 e 08 de setembro. O trigésimo-quinto TG focou: «A contribuição da Teologia Moral cristã numa sociedade plural e global». Os TEs abordados foram: 1) «O sonho transdisciplinar», H. Japiassu; 2) «A identidade diante da diferença», F. Silveira Filho, M. I. C. Millen; 3) «A verdade diante do pluralismo», A. Menezes, A. Ferla; 4) «A Teologia Moral diante da dor do outro», G. Cord Neto, N. Ribeiro Jr.; 5) «A dor do outro: qual Teologia Moral?», A. A. Martins, R. Manuel, D. Jesus e E. Toneti; 6) «Teologia Moral: do pluralismo reinante à pluralidade legítima», C. Oliveira e L. Pessini.

3.14 Síntese da Fase III

Esta fase caracteriza-se por um período um pouco mais longo do que as anteriores, acrescentando-se dois anos. É uma fase em que os dados mudam significativamente e a SBTM vai mostrando-se com algumas diferenças marcantes no processo de construção da Teologia Moral no Brasil.
Um fator que salta aos olhos é o crescimento significativo do laicato, como mediadores nos debates. De 26 leigos da Fase II temos agora nesta III a participação de 54. Também um número significativo de mulheres que, desde a Fase II somavam 9, agora, na III, somam 31. Pela primeira vez, o número de especialistas em outras áreas foi maior do que o dos teólogos morais, mostrando haver maior diálogo com áreas afins, compondo 67 moralistas e 69 profissionais de outras especialidades.
O número de mediadores brasileiros praticamente triplicou, passando de 43 da Fase II, para 121 na III; os moderadores estrangeiros passaram de 30 na Fase I, para 26 na II e, finalmente, 15 na III. Equilibrou-se também a questão da formação, somando 67 mediadores formados na América Latina e 69 na Europa.
Em relação às publicações, há uma retomada e um impulso semelhante ao da Fase I. Temos 6 livros publicados com 41 ensaios de diferentes autores, que puderam registrar suas reflexões realizadas nos Encontros Nacionais da SBTM. Uma nova série recomeça em 2008, agora com uma nova característica de apresentação a começar dos títulos: «Ser e…» caracterizando uma linha que desponta na SBTM.
Enfim, ao final das três Fases aqui expostas, somamos os seguintes dados. Foram

  1. analisados 35 Encontros Nacionais;
  2. escolhidas 506 palavras-chave, das quais 57 classificadas como pertinentes à  Moral Fundamental; 155 à  Moral Geral; 73 à da Pessoa; 161 à Moral Social e 60 a outras áreas afins;
  3. contados 260 mediadores: 146 religiosos, 23 diocesanos, 91 leigos; 214 homens e 46 mulheres; 141 formados em Teologia Moral, 119 formados em outras áreas do conhecimento; 189 mediadores brasileiros, 71 estrangeiros; 95 com alguma formação na América Latina e 165 com alguma formação na Europa; 16 publicações de livros com 98 artigos, 19 artigos de revistas, 44 publicações afins e 87 temas cujas publicações são desconhecidas ou não foram oficialmente divulgadas.

São três Fases que formam um conjunto, separadas por uma questão didática. Trata-se, porém, do mesmo processo de busca de respostas às questões morais de cada tempo, num diálogo contínuo com a história e a cultura. A Teologia Moral no Brasil esteve sempre atenta à realidade, ao seu contexto e às circunstâncias que a definem em cada Fase.
Temos uma visão de conjunto dos conteúdos abordados como parte do processo realizado pela SBTM como resposta ao Concílio Vaticano II e às exigências de renovação da Teologia Moral. A Teologia Moral nunca se isentou dos ditames do contexto histórico e da dinâmica social de sua realidade. Na leitura sobre a realidade, procurou interpretá-la segundo os critérios de sua epistemologia sem deixar de levar em conta os sujeitos sociais com base no seu ethos.

4 A abertura de uma Fase IV (2012…)

Depois de percorrermos as três Fases que nos apresentaram um rosto da Teologia Moral no Brasil com o enfoque da SBTM, é possível vislumbrar o início de uma nova Fase.

A partir de 2012, encontramos uma série de temas que foram sendo desenvolvidos e explorados pela SBTM e que merecerão uma análise posterior mais aprofundada para definir o seu caráter e uma possível projeção de novos tempos para a SBTM.

Os congressos e encontros continuam a ser realizados e, sem dúvida, conseguem manter uma dinâmica de debates e de pleno diálogo entre a Teologia Moral e a sociedade com suas dimensões multifacetadas.

Em 2012, o XXXVI Congresso da SBTM foi desenvolvido com o VIII Congresso Internacional de Bioética Clínica com o TG: «Bioética clínica na diversidade», em São Paulo, de 16 a 19 de maio.

Em 2013, o XXXVII Congresso teve o seu tema motivado pela realização da Jornada Mundial da Juventude, realizada no Rio de Janeiro, e como TG: «Teologia Moral e juventudes: interpelações recíprocas». Esse Congresso aconteceu entre 02 e 05 de setembro em São Paulo. Os TEs abordados foram: 1) «Interpelações à Teologia Moral pelas culturas juvenis», Dom Eduardo Pinheiro da Silva; 2) «Teologia Moral e juventudes», N. Ribeiro Jr.; 3) «Juventudes e diversidade sexual», W. S. Peres; 4) «Diversidade sexual: interpelações à Teologia Moral», J. N. F. Alison e J. A. Trasferetti; 5) «Juventudes e drogas», R. de Mathis; 6) «Drogas: interpelações à Teologia Moral», M. I. C. Millen e A. A. Martins; 7) «Juventudes e violência», S. M. F. Koehler; 8) «Violência: interpelações à Teologia Moral», R. Manzini e M. M. Coelho; 9) «Juventudes e redes sociais virtuais», A. F. de Oliveira; 10) «Redes sociais virtuais: interpelações à Teologia Moral», O. J. Almeida e T. Calçado; 11) «Teologia Moral e novas gerações: desafios e perspectivas», M. F. dos Anjos, L. Pessini e R. Zacharias.

Em 2014, o XXXVIII Congresso aconteceu entre 1.º e 04 de setembro, também em São Paulo. O TG escolhido foi: «Ética Teológica e transformações sociais: a utopia de uma nova realidade». Os TEs abordados foram: 1) «Indignação ética e marcos de interpretação das transformações sociais do mundo contemporâneo», J. Mo Sung; 2) «Compreender a realidade: análise crítico-propositiva», C. Whitaker, F. Altemeyer Jr., L. A. G. de Souza, M. Pochemann; 3)  «Compreender a realidade: interpretação ético-moral», A. Moser, R. Manzini; 4) «Transformar a realidade: por uma nova gramática ético-moral», A. A. Menezes, L. A. Mattos e N. Ribeiro Jr.; 5) «Transformar a realidade: por uma nova postura eclesial», Dom Angélico Sandalo Bernardino, L. E. Tomita e P. A. R. de Oliveira; 6) «Sonhar uma nova realidade», C. Josaphat, M. I. C. Millen e P. Suess; 7) «Esperar contra toda esperança», C. Moro, L. Pessini e P. Zacharias; 8) «O legado teológico-moral da SBTM e sua força transformadora no Brasil: uma visão em 3D», R. Hoepers.

Foi também escolhido e definido o Tema Geral para 2015: «Fundamentos da Teologia Moral na atualidade: desafios e perspectivas do ensino da Teologia Moral». Este será o XXXIX Congresso da SBTM e acontecerá entre 31 de agosto e 03 de setembro de 2015, em São Paulo.

Vai-se configurando, assim, uma nova Fase para a SBTM que será analisada em continuidade às três Fases anteriores para não perdermos o fio condutor da reflexão teológica moral no Brasil. Vemos claramente um legado teológico que a SBTM produziu durante a condução de seus trabalhos nas últimas quatro décadas. Mas, além da visão global dos temas desenvolvidos, podemos projetar novas luzes sobre a Teologia Moral no Brasil diante de uma construção tão sedimentada que permite continuar construindo a sobre suas bases.

Numa vida tão plural e num tempo tão desafiador quanto o nosso, em que tudo caminha numa velocidade absurda, a Teologia Moral no Brasil, por meio da SBTM quer manter seu papel de mediadora investindo na formação da consciência e no diálogo com a sociedade para «produzir frutos de caridade para a vida do mundo» (OT 16).

Dr. P. Ricardo Hoepers